Devido a novas exigências do edital do Processo Seletivo 2010 da EPSJV, será obrigatório, já no Requerimento de Inscrição, o número do CPF (Cadastro de Pessoas Físicas) do candidato. Portanto, os interessados em participar da seleção devem providenciar o documento.


A EPSJV informa ainda que, no dia da prova, também será obrigatória a apresentação da carteira de identidade do candidato.
[ mais informações ]

As Ocupações Técnicas nos Estabelecimentos de Saúde: um estudo a partir dos dados da Pesquisa AMS/IBGE



Março de 2003

 

Este estudo analisa o conjunto das ocupações de nível técnico, auxiliar e elementar nos estabelecimentos de saúde através da observação do quantitativo de postos de trabalho relativos a cada ocupação na base de dados da pesquisa Assistência Médico-Sanitária / IBGE. Ainda assim, dedica especial atenção à ocupação de enfermagem, considerando o número expressivo de trabalhadores técnicos e a importância qualitativa dessa ocupação quando se pensa em trabalhadores técnicos de saúde e no PROFAES-MS, Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores na Área de Enfermagem do Ministério da Saúde.

 

A pesquisa aponta que o setor de saúde apresentou uma elevação na escolaridade da força de trabalho, particularmente de nível técnico. A partir dos anos 90. essas mudanças acompanham o panorama tecnológico e organizacional mundial, com exigências de maior qualificação de trabalhadores e progressiva flexibilização das relações de trabalho.

 

O estudo chegou à conclusão da existência de uma distinção da natureza do trabalho das ocupações dentre os níveis analisados. Enquanto as de nível técnico e auxiliar concentram-se em estabelecimentos com internação, as ocupações de nível elementar atuam predominantemente em unidades sem internação. Outra análise importante é que, embora algumas ocupações de nível técnico e auxiliar estejam predominantemente associadas ao setor público, o total de postos de trabalhos dessas ocupações está distribuído de forma equilibrada entre os setores público e privado. Foi observado também que ainda é de pequeno porte a terceirização dos postos de trabalho relacionados às ocupações de nível técnico, auxiliar e elementar, prevalecendo no país a vinculação formal.

 

Este é o segundo estudo elaborado pelo Observatório, realizado para o Sistema de Acompanhamento de Sinais de Mercado de Trabalho do Setor Saúde (SAMETS), integrante do PROFAES-MS. O primeiro foi denominado: “Análise da Oferta de Educação Profissional de Nível Técnico em Enfermagem no Brasil”.

 

Coordenação:

  • Mônica Vieira (monicavi@fiocruz.br) – Doutora em Saúde Coletiva pelo IMS/UERJ

 

Equipe do projeto:

  • Ana Luiza Stiebler Vieira – Doutora em Saúde Pública pela UFRJ
  • Júlio César França Lima – Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Formação Humana da UERJ
  • Mônica Rodrigues Campos – Doutora em Saúde Coletiva pelo IMS/UERJ
  • Renata Reis – Mestre em Saúde Pública pela ENSP/FIOCRUZ
  • Sandra Rosa Pereira – Mestre em Saúde Pública pela ENSP/FIOCRUZ

 

Bolsistas:

  • Giseli Nogueira Damacena – Graduanda em Estatística pela UERJ
  • Gregório Galvão de Albuquerque – Técnico em Administração Hospitalar pela EPSJV/FIOCRUZ

 




Acesse Resultado na íntegra