Devido a novas exigências do edital do Processo Seletivo 2010 da EPSJV, será obrigatório, já no Requerimento de Inscrição, o número do CPF (Cadastro de Pessoas Físicas) do candidato. Portanto, os interessados em participar da seleção devem providenciar o documento.


A EPSJV informa ainda que, no dia da prova, também será obrigatória a apresentação da carteira de identidade do candidato.
[ mais informações ]

Trabalhadores Técnicos em Radiologia

 

Autoria

Isis Pereira Coutinho

 

 Coordenação do Estudo

Sérgio Oliveira

 

Equipe do Estudo

Alexandre Moreno
André Feitosa
Cristina Morel
Isis Coutinho
Sérgio Oliveira

 
Colaboração
José Luís Ferreira Filho
Sarita Oliveira

 

 

Os técnicos de radiologia são profissionais de saúde que efetuam exames na área da radiologia, ou seja, atuam na produção de imagens do interior do corpo que permitem diagnosticar situações patológicas como pneumonias, tumores ou fraturas ósseas, entre outras. As suas principais funções consistem na programação, execução e avaliação de todas as técnicas radiológicas utilizadas no diagnóstico, na prevenção e promoção da saúde, recorrendo, para esse efeito, a equipamentos tecnologicamente avançados.

 

Desde 1985 a profissão do Técnico em Radiologia é regulamentada pela Lei nº 7.394, que estipula diversas vantagens para os profissionais como: carga horária de 24 horas semanais e faixa salarial. Além disso, a mesma regulamentação estipula que apenas poderão se inscrever no curso de formação da área, alunos que possuam a formação completa do ensino médio.

 

O Catálogo Nacional de Cursos Técnicos do Ministério da Educação compreende a atribuição do Técnico em Radiologia como aquele que


                              “Realiza exames radiográficos convencionais. Processa filmes radiológicos, prepara soluções químicas e

                              organiza a sala de processamento. Prepara o paciente e o ambiente para a realização de exames nos serviços

                              de radiologia e diagnóstico por imagem, tais como: mamografia, hemodinâmica, tomografia computadorizada,

                              densitometria óssea, ressonância magnética nuclear e ultra-sonografia. Auxilia na realização de procedimentos

                              de medicina nuclear e radioterapia. Acompanha a utilização de meios de contraste radiológicos, observando os

                              princípios de proteção radiológica, avaliando reações adversas e agindo em situações de urgência, sob

                              supervisão profissional pertinente” (MEC, 2009).

 

O processo de trabalho do técnico em radiologia envolve tanto o manejo de equipamentos, quanto o cuidado com o usuário. Este trabalho também implica na relação com outros profissionais, dentre eles, o médico radiologista e os profissionais da enfermagem.

 

Segundo a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), do Ministério do Trabalho e Emprego, esta ocupação se enquadra na família de “Tecnólogos e técnicos em métodos de diagnósticos e terapêutica”. O Técnico em Radiologia está identificado no subgrupo denominado “Técnico em radiologia e imagenologia”, onde se engloba as especialidades deste profissional, ou seja, os exames no qual ele está habilitado a realizar. A descrição sumária deste grupo temático prescreve que os profissionais descritos nesta seção

 

                              “Realizam exames de diagnóstico ou tratamento; processam imagens; planejam atendimento; organizam área

                              de trabalho, equipamentos e acessórios; preparam paciente para exame de diagnóstico ou tratamento e

                              trabalham com biossegurança” (CBO, 2002).

 

O Técnico em Radiologia é o único profissional técnico que possui um conselho próprio, o CONTER, Conselho Nacional das Técnicas Radiológicas, criado em 1987 e que, hoje, regulamenta a atuação do Tecnólogo em Radiologia.

 

No ano de 2009, o Governo Federal lança o Programa de Formação de Profissionais de Nível Médio para a Saúde – PROFAPS, onde o técnico em radiologia é contemplado para que as Escolas Técnicas do SUS (ET-SUS), Escolas de Saúde Pública e Centros Formadores vinculados aos gestores estaduais e municipais de saúde pudessem formalizar as diretrizes curriculares para este grupo profissional.Cabe salientar a importância deste programa para a formação no âmbito público, pois ela se realiza eminentemente em instituições privadas de ensino.

 

 

 

Apresentação dos resultados da investigação intitulada "Qualificação dos Técnicos em Radiologia: história e questões", no Seminário Trabalhadores Técnicos em Saúde: aspectos da Qualificação Profissional no SUS (Rio de Janeiro, 08 de maio de 2013).

 

 

 


Documentos
Ano Nome Autor Descrição Situação Link
2011Técnico em radiologia: diretrizes e orientações para a formação.Ministério da SaúdeEste documento atende às diretrizes e estratégias do Programa Mais Saúde: direito de todos: 2008-2011 do MS e é parte da operacionalização do Programa de Formação de Profissionais de Nível Médio para a Saúde (Profaps). Este Programa enfatiza a necessidade de desenvolvimento de projetos que visem à ordenação de recursos humanos para a saúde e destaca a articulação das políticas e processos de trabalho da saúde e da educação como estratégia privilegiada para a ampliação e qualificação da atenção à saúde em todos os âmbitos da rede de serviços do Sistema Único de Saúde (SUS).AtivoLink
2003Guia de Boas Práticas em Radiologia.BrasilEste documento apresenta o guia de Boas Práticas em RadiologiaAtivoLink
2002Lei nº 10.508BrasilAltera o inciso I do artigo 2 o da Lei no 7.394 de 29 de outubro de 1985, que regula o exercício da profissão do técnico em radiologia.AtivoLink
2002Decreto-Lei nº 167BrasilO presente diploma aprova o regime jurídico do licenciamento e do funcionamento das entidades de prestação de serviços na área da proteção contra radiações ionizantes.O presente diploma aprova igualmente os requisitos técnicos respeitantes às atividades das entidades referidas no número anterior.O presente diploma transpõe para o ordenamento jurídico interno as disposições relativas às áreas da dosimetria e da formação, previstas na Diretiva n° 96/29/EURATOM, do Conselho, de 13 de Maio de 1996, que fixa as normas de base de segurança relativas à proteção sanitária da população e dos trabalhadores contra os perigos resultantes de radiações ionizantes.AtivoLink
2002Decreto-Lei nº 165BrasilO presente diploma estabelece os princípios gerais de protecção bem como as competências e atribuições dos organismos e serviços intervenientes na área da protecção contra radiações ionizantes, resultantes das aplicações pacíficas da energia nuclear, e transpõe as correspondentes disposições da Directiva n.o 96/29/EURATOM, do Conselho, de 13 de Maio, que fixa as normas de base de segurança relativas à protecção sanitária da população e dos trabalhadores contra os perigos resultantes das radiações ionizantes.AtivoLink
2000Portaria nº 721BrasilA presente portaria tem por objecto a definição das normas reguladoras da aplicação dos métodos de seleção, sua utilização e respectivos fatores de ponderação, nos concursos de ingresso e de acesso na carreira de técnico de diagnóstico e terapêutica.AtivoLink
2000Decreto-Lei n° 240.BrasilAlteração ao decreto-lei 492/99 que aprovou o regime jurídico do licenciamento e da fiscalização das unidades privadas de saúde que utilizem, com fins de diagnóstico, de terapêutica e de prevenção, radiações ionizantes, ultra-sons ou campos magnéticos.AtivoLink
1999Decreto-Lei nº 564.Ministério da SaúdeO presente diploma estabelece o estatuto legal da carreira de técnico de diagnóstico e terapêuticaAtivoLink
1996Lei nº 9.394BrasilEstabelece as diretrizes e bases da educação nacional.AtivoLink
1993Decreto-Lei nº 291BrasilO presente diploma regula o exercício das atividades profissionais das profissões das tecnologias da saúde.AtivoLink
1990Lei nº 8.112BrasilDispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federaisAtivoLink
1989Lei nº 7.923BrasilDispõe sobre os vencimentos, salários, soldos e demais retribuições dos servidores civis e militares do Poder Executivo, na Administração Direta, nas Autarquias, nas Fundações Públicas e nos extintos Territórios, e dá outras providênciasAtivoLink
1988Parecer nº 307Conselho Federal de Educação/ Ministério da EducaçãoAutoriza o funcionamento do curso Técnico de Radiologia, habilitação em Medicina Nuclear.Não consta revogação expressaLink
1975Projeto de lei nº 317.Deputado Gomes do AmaralProjeto de lei para a Regulamentação da Profissão de Técnico em Radiologia.AtivoLink
1973Parecer nº 1.263Conselho Federal de Educação/ Ministério da EducaçãoEste parecer trata da habilitação de técnico em radiologia médica.Não consta revogação expressaLink
1971Lei nº 5.692BrasilFixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências.RevogadoLink
1958Decreto nº 43.185BrasilAltera o Decreto nº 29.155 de 17 de janeiro de 1951, modificado pelo Decreto nº 40.630, de 27 de dezembro de 1956 e dá outras providências.AtivoLink
1957Decreto nª 41.904BrasilRegulamenta o Serviço Nacional de Fiscalização da Medicina e Farmácia, onde os Operadores de Raio X, deveriam associar-se. A formação era pelo método mestre-aprendiz (o aprendiz aprende a função exercendo-o junto ao mestre de ofício)AtivoLink
1956Decreto nº 40.630BrasilAltera o Decreto nº 29.155, de 17 de janeiro de 1951, e dá outras providênciasAtivoLink
1950Lei nº 1.234BrasilConfere direitos e vantagens a servidores que operam com Raios X e substâncias radioativasNão consta revogação expressaLink